Abrimos de domingo a domingo, sempre a partir de meio-dia. Dúvidas? Ligue para a gente: (61) 3447-8112

A partir deste final de semana (04 e 05/02), a Faz Bem organizará, aos sábados e domingos, uma Feirinha com dezenas de produtores locais e/ou familiares de todo o DF. Aos sábados teremos uma Feirinha Orgânica e aos domingos uma Feirinha PANC. Mas peraí, você sabe o que é um PANC?

No mundo, estima-se que 30.000 espécies vegetais possuem partes comestíveis. Mesmo assim, 90% do alimento mundial atualmente vem de apenas 20 espécies. Já passou da hora de mudar essa realidade, não acham?

As ‘plantas alimentícias não convencionais’ (PANC) são justamente plantas que nós, ou a maioria de nós, não comemos por falta de costume ou de conhecimento e que podem sim ser consumidas!

Nativas ou exóticas, muitas são denominadas ‘mato’, ‘daninhas’, ‘invasoras’ e até ‘nocivas’ por brotarem espontaneamente entre as plantas cultivadas ou em locais onde não “permitimos” que isso ocorra. Devido a isso, milhares de espécies com alto valor nutritivo são negligenciadas por grande parte da população e do poder público.

As PANC também se referem a ‘partes não convencionais de plantas comuns’, como por exemplos o uso das folhas de batata-doce e do mangará (coração) da bananeira na alimentação. As PANC tem potencial para complementação alimentar, diversificação dos cardápios e dos nutrientes ingeridos e na diversificação das fontes de renda familiar, como a venda de partes das plantas ou de produtos processados (geleias, pães, farinha, etc) e através do turismo, rural ou gastronômico.

Orapro

É possível fazer saladas diversas com capuchinha (flores e folhas), hibisco (flores e folhas), trevo (toda a parte aérea), serralhinha (folhas), Ora-pro-nobis (folhas), melão de São Caetano (frutos verdes e ramos jovens), picão-branco/fazendeira (folhas, ramos e flores), trapueraba (folhas e ramos jovens), urtiga mansa (ramos jovens) e pitaia/saborosa (pontas mais jovens dos caules), e também pratos refogados com as folhas da abóbora (também conhecido por ‘cambuquira’), da batata-doce (folhas) e do picão-preto (folhas e ramos jovens). Esses são apenas alguns exemplos de como o nosso país é rico e farto, cabe a nós estudarmos e aproveitarmos todo esse potencial!

Uma das mais conhecidas PANCs é a orapronobis (foto). Além de linda, cheia de flores e totalmente ornamental, ela já é utilizada na culinária mineira. É rica em vitaminas A, B, C, rica em fibras, ferro e fósforo, fonte de mucilagem, e proteínas (cerca de 25% de sua composição). Apresenta também alguns aminoácidos essenciais, entre eles a lisina, fundamental no fortalecimento do sistema imunológico.

Em alguns lugares do Brasil, a orapronobis é conhecida como “o bife dos pobres”. A parte comestível são suas folhas, tanto em preparos cozidas, quanto cruas em saladas.

BÔNUS: Quer saber mais sobre o assunto? Assista a esse incrível documentário, disponível no Youtube:

Fonte: http://www.coletivoverde.com.br/isso-e-panc-plantas-alimenticias-nao-convencionais/